Vitrine virtual
Mapa
Aracruz
Cachoeiro de Itapemirim
Cariacica
Conceição da Barra
Nova Venécia
Presidente Kennedy
Santa Maria
São Mateus
Serra
Vargem Alta
Venda Nova
Viana
Vila Velha
Vitória

Aracruz

Vitrine Virtual
corda - vitrine virtual

Cachoeiro

Cleyson
Voz Black
Cleyson Costa Gomes
Cleyson Costa Gomes acadêmico de sistemas de informação e produtor cultural tendo ingressado no duelo de mc’s em 2015 desde então aprofundando meus conhecimentos na arte de rua de forma autodidata e com uma paixão pela música que não consigo nem imaginar de onde vem, para mim parece que esse amor nasceu comigo.
Como a maioria dos jovens da arte de rua gosto de andar de tocar violão, skate e grafite, mesmo que não seja uma das coisas que melhor sei fazer mas me arrisco a tentar.
Nascido em 28 de setembro de 2000 me encontro com 20 anos e uma porção de sonhos para realizar na área cultural um destes comecei a realizar esse ano que é o meu primeiro projeto para apresentação e reprodução de músicas ao vivo.
Voz Black - vitrine virtual
Eu, Cleyson Gomes juntamente com uma amiga que durante todo o meu ensino médio esteve lado a lado comigo em todas as apresentações possíveis.

Yasmin Souza também apaixonada pela música em especial pelas músicas produzidas em cima da história de nossa ancestralidade negra nos juntamos para podermos levar nossa luta e momentos de alegria para eventos, projetos e até mesmo para as redes dos interessados produzindo assim um espaço onde possamos emanar toda a energia boa que se pode transmitir através da música cantada com amor e com a alma.
Assim apresentamos o nosso grupo: “Voz Black”.
Um grupo pensado por pretos para representar vozes pretas.

corda - vitrine virtual
Karen
Karen Gonçalves Lisboa
Karen Gonçalves tem 21 anos e é de Cachoeiro de Itapemirim. Os seus hobbies são dançar, cantar, ler livros e passear. E o seu sonho é se tornar uma ótima arquiteta e líder de jovens.
Hoje em dia sou trancista e babá.  Comecei a trabalhar como babá com 12 anos, pois queria comprar meu 1 celular, daí por diante não parei mais. Sempre gostei de mexer com cabelo, então fazia testes em mim mesma, até que em 2017 eu comecei a trabalhar e me apaixonei …
Meu objetivo é  ter uma renda, já que eu nunca tive carteira assinada.
trança - vitrine virtual
trança - vitrine virtual

Cariacica

Iago - vitrine virtual
Nakia Shoes
Iago Barson
Hello lovers! Me chamo Iago Barson.
Dançarine, artiste visual, produtore cultural, Drag Queen, maquiadore, professore, microEmpresarie, design graphic, e por aí vai…  Estou cansade de assistir passivamente as pessoas, que infelizmente não tiveram as mesmas oportunidades, sendo mortas tão jovens. 
Através da Nakia Shoes, que significa esperança, quero oportunizar os meus, assim como um dia já tive sopro de esperança. Através da moda consciente, estilosa, babadeira e nacional, quero democratizar (crescer no mercado e alcançar mais pessoas) onde todes possam comprar com preços acessíveis produtos de qualidade!
Roupas - Iago
Roupas - Iago
corda - vitrine virtual
Jadson
Jadson Lucas afonso

Bailarino, coreógrafo, ator, pesquisador cultural dos povos de matrizes africanas, produtor cultural, campeão do selo Unicef, educador social, Bailarino dos Musicais da FAMES ( HAIR ) WEBBER.
Coreógrafo cantata de natal shopping Moxuara Cariacica.
Bailarino urbano da Cia vitoria street dance, Diretor artístico e idealizador do coletivo de performances itinerante, idealizado do projeto ancestralidade Negra , Bailarino das Comissões de frente do carnaval capixaba desde 2017, Bailarino convidado da companhia de dança contemporânea impares, assistente de arte em geral, modelo fotográfico, figurinista de vestimentas e indumentárias, paramentos e Azes de candomblé, maquiador cênico e artistico e pinturas infantis. Literatura e recreação infantil ” contador de historia “.
Eu sou a versatilidade em acreditar que o jovem tem força de ser o que quiser, só basta acreditar estudar e ter foco e fé.

Jadson
Jadson
Trabalhos
@performancesitinerante  
@ancestralidadeNegra 
@musicalHairvitoria
Kamila
Milla Biscoitos Amanteigados
Kamilla Da Penha Gonçalves
(27) 9 8118-7167
Mulher, negra, pobre e muito apaixonada por tudo que faz. Capixaba de origem simples e que tem todo o apoio da família e amigos para seguir neste cenário tão comum e hostil. Formada em Ciências Biológicas por opção e se especializando na área, toma a iniciativa através de um auxílio financeiro governamental, de fazer biscoitos amanteigados para venda em um cenário de pandemia mundial. A bióloga de paixão e agora “Biscoiteira”, sim você não leu errado.
Em breve, A professora e empresária do ramo da confeitaria sempre trabalhará nas suas lojas e nas salas de aulas o conceito de sustentabilidade responsável e solidariedade consciente nas diferentes esferas ecológicas.
Milla
Milla
corda - vitrine virtual
A Milla está sendo criada com a missão de unir qualidade, variedade e respeito em todas as suas etapas de produção. Oferecemos de forma online e através de aplicativos de comida Biscoitos Amanteigados Salgados, doces, integrais e com recheios e incentivamos o retorno de embalagens para os nossos clientes pós compras e explicamos os benefícios, seja na redução de fabricação ou com cupons de descontos ou outros.
Futuramente teremos espaços físicos onde cada cliente poderá fazer o seu biscoito e consumo no mesmo ambiente, escolhendo cada ingrediente e destinando parte do valor das vendas para instituições socioambientais.
O Objetivo da Milla Biscoitos Amanteigados é formular um espaço de integração com respeito e valorização das ações humanas e proativas, levando em consideração o tempo, necessidade e espaço individual dos interessados.

Conceição da Barra

Delcina
Delcina Sousa dos Santos
Eu me chamo Delcina Sousa dos Santos, sou preta, quilombola, nascida e criada na comunidade Angelim II, EM Conceição Da Barra ES. Agricultora ativa, mãe da Evelyn de 12 anos, formada em pedagogia, atualmente cursando licenciatura em Educação do Campo no Centro Universitário Norte do ES, pós graduada em história e séries iniciais do ensino fundamental.
Trabalho com agricultura familiar, na produção de alimentos orgânicos livres de agrotóxicos, fornecendo alimentos de qualidade que visam a garantia de alimentação saudável para o consumidor.
Porém o objetivo maior desse trabalho é também proteger o ecossistema, evitando a utilização de produtos químicos.
corda - vitrine virtual
Flávia Dos Santos
Sou Flávia Dos Santos, mulher, quilombola, mãe de Mayana Sofia e Oraldo Neto, graduada em administração, cursando licenciatura de educação do campo (ciências humanas e sociais) sou agente cultural, atuante no movimento quilombola.
Idealizadora do projeto agroecologia e alimento
Que tem como objetivo reflorestar e recuperar nascentes, dentro do território quilombola, consorciando agua e alimento orgânico, além disso levando o nome de um ancestral que ali residia ou que tinha um vínculo com aquela nascente.
Ingrid
INGRID GUIMARÃES DA CUNHA
Sou uma mulher, nascida em Conceição da Barra, norte do Espírito Santo, Brasil. De berço humilde, mas de valores inestimáveis, parda, casada e mãe de uma linda princesa chamada Melissa.
Sempre trabalhei e busquei o melhor pra mim, fiz técnico de Segurança do Trabalho, mas não quis seguir a carreira. Trabalhei em Supermercado, loteria, escritório… Hoje trabalho com revenda, e cuido da minha família.
Sonho em terminar minha faculdade de Letras, cursar Psicologia, ainda não me decidi rsrs. Sonho em empreender em algum negócio, mas ainda não achei meu caminho, estou a procura dele!
Revenda de tupperware, um produto que todas as mulheres de casa amam e zelam, na verdade nesse amor não há gênero, ninguém resiste aos nossos potinhos e outros produtinhos.
Ingrid Guimarães é quem revende e leva no conforto do seu lar sua tupperware. Com varias formas de pagamento e um jeitinho bacana para pagar!
Tupperware - vitrine virtual
corda - vitrine virtual
Kelly
Kelly Nay de Souza Guilherme
Olá, sou Kelly Nay de Souza Guilherme, graduanda em Pedagogia pela UFES, tenho 25 anos, apaixonada por viagens e amante de um bom e velho forró pé de serra, faço parte da administração da manifestação cultural conhecida como Jongo de São Bartolomeu de Conceição da Barra-ES e dou aulas de reforços para crianças e adolescentes, e muita vezes uso minhas redes sociais para indicar um serviço, ou fazer caixinhas de perguntas para pessoas que me seguem principalmente no Instagram.
Futuramente abrirei uma assessoria para ajudar os grupos de manifestações culturais a se inscreverem em editais e escreverem seus projetos para ajudá-los na captação de recursos.
Lucimaria Leonerio
Lucimaria Leonerio, agricultura, apaixonada pela natureza e por artesanato, formada em técnico em agropecuária pela Escola Família Agrícola de Vinhático, atualmente cursando Licenciatura em Educação do Campo na UFES- São Mateus.
artesanato - vitrine virtual
artesanato - vitrine virtual
O artesanato sempre foi um hobby, mas depois de passar pelo curso Nós da Cultura do Instituto das Pretas, começou a aparecer como uma boa oportunidade de aumentar a renda, podendo assim conciliar duas paixões: a agricultura e o artesanato e ainda é uma atividade realizada em parceria com a família.
corda - vitrine virtual
Renata
Renata da Silva
Renata da Silva,moradora de Conceição da Barra. Tenho 32 anos. Negra , mãe do Pedro e da Júlia.
Empreendedora na empresa Hinode cosméticos, trabalho na prefeitura municipal de Conceição da Barra na escola da minha comunidade. Onde no meu bairro vendo os meus produtos de cosméticos.
Preta e empoderada procurando levar mais beleza a todos.
É SOBRE ISSO
Zoziane
Coletivo Socioambiental Sementes da Gratidão
Zoziane Bernardo
Zoziane Bernardo é Bióloga formada desde 2013 em Licenciatura e Bacharelado pelo Centro Universitário FAESA, possui pós-graduação em Biologia molecular pela faculdade Unyleya, área a qual atuou em paralelo ao desenvolvimento do projeto Socioambiental Sementes da Gratidão até o ano 2018 na região metropolitana de Vitória – ES.
Atualmente se dedica exclusivamente a esse coletivo no município de Conceição da Barra – ES (sua cidade natal), empreendendo de forma interdisciplinar nas áreas de Meio Ambiente, Arte, Cultura e sustentabilidade.
Coletivo Socioambiental Sementes da Gratidão - vitrine virtual
Coletivo Socioambiental Sementes da Gratidão - vitrine virtual
Coletivo Socioambiental Sementes da Gratidão - vitrine virtual
O artesanato sempre foi um hobby, mas depois de passar pelo curso Nós da Cultura do Instituto das Pretas, começou a aparecer como uma boa oportunidade de aumentar a renda, podendo assim conciliar duas paixões: a agricultura e o artesanato e ainda é uma atividade realizada em parceria com a família.
corda - vitrine virtual

Nova Venécia

Luiz Davi
Luiz Davi Carvalho de Oliveira

Sou um músico amador da cidade de nova Venécia-ES, sempre participei de diversas  manifestações culturais, comecei na capoeira e logo depois fiz parte de um grupo de dança  afro e um grupo de teatro, fiz parte da primeira formação do afrozumba, que na época se  chamava projeto educando-se e tocando e agora faço parte da lira municipal é nova  Venécia e de uma banda de marchinhas carnavalescas, meus hobbies são assistir filmes e  séries, acompanhar futebol e jogar futebol.

musica - vitrine virtual
Faço parte da lira municipal Matheus toscano que é uma banda de instrumentos de sopro gerida pela prefeitura Municipal e faço parte também de uma banda de marchinhas carnavalescas chamada furiosa de Venezia, gerida pelo maestro Leandro Bonifácio, está banda de marchinhas não é presenta apenas na época do carnaval, por também tocar samba e pagode, somos convidados para tocar em jogos de futebol, como uma banda de torcida organizada.
corda - vitrine virtual
Rosiani
Rosiane da Silva Santos
Meu nome é Rosiane da Silva Santos, tenho 27 anos. Sempre gostei de fazer unha, meu sonho é ter um projeto de penteado afro.
Eu participo do projeto educando e se tocando e da banda Afrozumba que está situada na cidade de Nova Venécia a quase 17 anos, e atende outros município também o projeto. Trabalho na área de Manicure e pedicure. Sempre trabalhei nessa área desde dos meus 10 anos de idade. E eu amo o que faço, atendo a domicílio mas pretendo futuramente ter o meu próprio espaço.
Robson
Robson José Maria Ferreira
Robson José Maria Ferreira, 52 anos, acumulando experiências de pouco mais de 30 anos, baiano(soteropolitano) radicado no Espírito Santo, possui Formação de Mestres de Bandas pelo INSTITUTO SINCADES/ SECULT-ES.
Desde 1986, passou pelas Bandas LICOR DE MEL, BLOCO MEL em Salvador – Bahia e no Espírito Santo, atuou na Banda AUÊ e diversas participações especiais como baterista e percursionista em diversas bandas.
Em 2005, idealizou e fundou o Projeto Sociocultural – “EDUCANDO-SE E TOCANDO”. Iniciando a Oficina de percussão Musical no Estilo Afro-Brasileiro, nos Bairros de Nova Venécia, respectivamente criou a BANDA AFROZUMBA, durante o período da pandemia com a vasta experiência de confecção de instrumentos de percussão se descobriu artesão confeccionando peças de jardins, artigos para festas e afins.
O PROJETO “EDUCANDO-SE E TOCANDO” ao longo de dezesseis anos desenvolve ações afirmativas e faz prevalecer o processo de construção e evolução do projeto com oficinas de percussão, na cidade de Nova Venécia-ES e atualmente nas cidades de Vila Pavão, Jaguaré e Montanha, mais especificamente nas comunidades.
O Projeto não possui uma sede própria. As oficinas são realizadas em espaços não – formais. O resultado desta iniciativa se constituiu no Grupo “AFROZUMBA”, objetivando o combate a discriminação social, estimulando a autoestima, o orgulho dos afro-brasileiros, defendendo e lutando a fim de assegurar os direitos civis e humanos dos negros. Que adotou as cores do Panafricanismo.
corda - vitrine virtual
Afrozumba - vitrine virtual

O verde representa as florestas equatoriais da África, o vermelho o sangue da raça negra, o amarelo o ouro da África, o preto o orgulho da raça negra, o branco a paz mundial.
No início a intenção era apenas ensinar às crianças moradoras de Nova Venécia que tinham seu tempo ocioso, a tocar um instrumento de percussão e desenvolver um projeto de cultura e educação acessível às mesmas.
É característico do grupo apresentar a cultura africana, com músicas e cores.
É neste momento, quando o lúdico e o artístico se encontram, que o “AFROZUMBA” celebra a realização do seu objetivo maior, a valorização e o respeito à Cultura Negra.
O “Projeto Educando-se e Tocando” e Grupo AFROZUMBA já percorreu diversas cidades do Espírito Santo e outros estados, apresentando a música para um publico significativo em toda a sua trajetória. Vale lembrar que o repertório é um importante instrumento na luta contra o preconceito e discriminação além de valorizar e incentivar a autoestima do povo negro e suas comunidades.
O Projeto Educando-se e Tocando e Grupo Cultural AFROZUMBA é um dos expoentes do cenário musical e cultural de Nova Venécia-ES e um importante movimento contra o racismo, discriminação, e toda a forma de Apartheid, acreditamos que seja um dos caminhos para interagir com elementos culturais dentro e fora da cidade e do estado do espírito santo e por que não dizer do Brasil, visto que esta interação apenas pelos meios de comunicação acreditamos que revela apenas uma face da sociedade, assim sendo reafirmamos que deve-se oportunizar o acesso aos bens culturais produzidos pela humanidade e que a educação cultural deva ser acessada por todos.

Presidente kennedy

Neisiane
Luiz Davi Carvalho de Oliveira
Meu nome é Neisiane Alves ou Anny Alves, 27 anos capricorniana, moro na comunidade quilombola de Boa Esperança e Cacimbinha aqui em Presidente Kennedy sul do ES. Gosto de viajar, aprender sobre cultura, estar com meus familiares ouvir histórias dos meus griôs aprender sobre nossos antepassados. Faço parte de conselhos municipais e estaduais representando comunidades Quilombolas. Também sou coletiviana do FEPNES (fortalecimento e empoderamento da população negra do Sul do Es), sou jongueira estou como Coordenadora de jongo aqui da comunidade a quase 5 anos. Faço trabalho voluntário na comunidade junto a associação de moradores, trabalho como articuladora local no projeto de educação ambiental em comunidades quilombolas (Quipea). Estamos aí na busca por conhecimento empoderamento fortalecimento respeito e valorização da cultura tradicional ser multiplicadores de informações é minha paixão.
#nossospassosvrmdelonge #nenhumQuilomboaMenos #nenhumdireitoaMenos #vidasnegrasimportam
Sobre o empreendimento, as aulas em que participei foi muito importante para criação de novos projetos de fortalecimento e valorização da cultura tradicional quilombola. Meu trabalho voluntário consiste no jongo da comunidade Quilombola de Boa Esperança que é uma forma de educar e mostrar para as pessoas da comunidade e sociedade a preservar a memória dos Ancestrais.
corda - vitrine virtual

Essa manifestação cultural se fundiu com a própria história da comunidade. O Jongo é uma manifestação essencialmente rural, proveniente da cultura Africana no Brasil.
O jongo influenciou na formação do samba e da cultura popular brasileira como um todo. O Grupo de Jongo Mãe África Pátria Amada e uma iniciativa de moradores das comunidades Quilombolas de Cacimbinha e Boa Esperança localizadas no município de Presidente Kennedy, que tem como objetivo manter viva a cultura negra quilombola e transmiti-la as novas gerações.
Nossa manifestação cultural é composta de membros das famílias das comunidades, sendo elas brincantes jongueiros, tocadores e pessoas que acompanham a o jongo durante as apresentações.
Os moradores se reúnem em torno da mestra de Jongo, Dona Edna Santos, de 86 anos, para ouvir e aprender sobre as tradições da dança. Nossa tradição tem mais de 100 anos, entretanto o grupo com o nome Jongo Mãe África Pátria Amada tem cerca de 27 anos.
Diante da necessidade de enfrentar qualquer tipo de preconceito o projeto em tela busca mitigar opressões sobre as manifestações culturais do movimento quilombola, pois cada dia que passa o quilombo recebe moradores de outras culturas e que não sabem ou não entendem sobre a cultura da comunidade por ser quilombola e acaba associando a cultura local com práticas religiosas de maneira pejorativa.
Objetivo:

  • Preservar a memória dos Ancestrais e das manifestações culturais
  • Formar lideranças
  • Integrar a Juventude de Boa esperança e região
  • Adquirir conhecimento sobre histórias da comunidade
  • Promover debates educacionais
  • Elaborar trabalho em grupo
  • Priorizar é valorizar a cultura local

Santa Maria

Ana
Ana Caroline Nogueira Uliana
Sou Ana Caroline Nogueira Uliana, tenho 19 anos, natural de Santa Maria de Jetibá. Era estudante de Ciências Contábeis, mas gostaria de estudar dança. Gosto de ler, ouvir música, dançar, e etc.
Acho interessante participar de projetos culturais, coisas que irão agregar tanto no meu conhecimento, quanto na minha vida pessoal / profissional. Mesmo sendo uma pessoa ligada na cultura, não sou ligada no mundo político. Não tenho nenhum posicionamento político, ou algo assim.
Atualmente, não tenho nenhum projeto em ação, porém, como gosto da dança, pretendo fazer algo relacionado a isso. Tentar levar a dança para todo canto, e através dela, fazer as pessoas terem uma condição de vida mais saudável. É algo que pretendo colocar em prática, e espero que seja logo.
corda - vitrine virtual
Nilceia
Nilcéia Kosanke Kunde
Meu nome é Nilcéia Kosanke Kunde. Tenho 26 anos sou mãe de uma princesa de 7 anos e estou a espera de um irmão ou irmã para essa mocinha. Sou descendente pomerana. Apesar de não ter conhecimento sobre toda a minha cultura , procuro seguir e cultivar o que meus pais e avós ensinaram.
Gosto de estar com minha família e amigos. Tenho facilidade em me enturmar com as pessoas e quando gostamos das mesmas coisas ou temos objetivos parecidos gera uma amizade duradoura.
Já fui muito sonhadora. Desejo visitar lugares diferentes. Já sonhei desde ser bailarina até uma respeitada advogada. Hoje me sentiria orgulhosa se eu conseguisse abrir uma lojinha para expor e vender meus artesanatos. Sei que a caminhada até chegar lá ainda está longe. Mas o primeiro passo já comecei a dar, só questão de tempo até se tornar realidade.
Desde criança, apreciei e gostei dos diversos tipos de arte. Quando criança, sempre tive vontade de aprender mais sobre pinturas, crochê e tudo que envolve esse mundo colorido. Por não termos muitas condições, guardava esse desejo pra mim.
Até que já mais adolescente, arrumei um emprego e aos poucos consegui aperfeiçoar um pouco do que eu já tinha conhecimento. Mas foi em 2018 que finalmente segui firme com esse desejo de me entregar ao mundo do artesanato.
Faço pinturas em tecido e até comecei um curso de pintura em tela. Mas por conta da pandemia acabou sendo parado pra proteção de todos. Além da pintura, também trabalho com bordados(crochê e bordado livre).
Estou participando de um projeto em parceria com a Acurbe e a Secult, no qual passamos adiante o que sabemos sobre artesanato e com ele ( um dos primeiros que ainda virão) levar adiante um pouco do que ainda resta da nossa cultura para que ela não seja esquecida e fazer com que as pessoas aprendam e valorizem ainda mais o trabalho de um artesão.
Artesanato

São Mateus

Lucas
Lucas Borghi
(27)9 9750-6560
Filha das terras mateenses e moradora do Encruzo, está graduanda em pedagogia pela ufes e é artista em constante formação. Vê o teatro como uma potente ferramenta de mobilização e articulação social que é capaz de desenvolver também o senso crítico.
Desenvolve projetos e ações na área de arte educação com recorte nas artes cênicas, além de também trabalhar com a elaboração escrita de projetos em diversas áreas.
corda - vitrine virtual

Serra

Gisele Paulo, jovem, negra, estudante bolsista graduanda em Serviço Social pela UniSales (Centro Universitário Salesiano), Produtora Cultural, empreendedora capixaba, ativista, artista independente, moradora da região serrana periférica do Estado do Espírito Santo.
Faço parte do corpo de membros do Fórum Estadual da Juventude Negra do Espírito Santo polo Serra, artista do coletivo BUsina fundado no complexo da Maré/RJ, atuando ao lado de vários artistas independentes de todos os Estados do Brasil.
ARTIVISMO - vitrine virtual
EMPREENDIMENTO - vitrine virtual
EMPREENDIMENTO - vitrine virtual
corda - vitrine virtual
Empreendedora negra, realiza trabalhos de fotografia, filmagens e customização em camisas como garantia de renda. Produtora Cultural, participo e realizo alguns projetos em meu território, um deles é o coletivo/banda Esquadrão Dandara que surgiu através de um trabalho da matéria de Projeto da própria faculdade.
O projeto surgiu quando tivemos a consciência de que seriamos no atual período, uma das poucas jovens negras a ocupar uma instituição privada, surgindo então a necessidade de afirmação contra todas formas de preconceitos institucionalizados que NÓS negros, sobretudo mulheres sofremos diariamente.
O coletivo/ banda objetiva, através da arte incentivar os adolescentes, jovens e mulheres da periferia à emancipação e ao desenvolvimento musical, mostrando a importância de falar sobre artistas negros como referência, e da importância do protagonismo, bem como da autoafirmação dos mesmos como sujeitos de direitos e deveres conforme previsto na Constituição Federal de 1988 e nos direitos assegurados pelos Estatutos da Criança e do Adolescente e Estatuto da Juventude.
Esquadrão Dandara
coletivo BUsina
Lojinha Gizl_Custom
Fotografia
Jamilly Lemos dos Santos
(27)9 9745-4037
Eu me chamo Jamilly Lemos dos Santos, mulher negra, 25 anos, pisciana, estudante de Pedagogia e amante das belas artes da vida. Gosto de me envolver nas questões sociais sobretudo referente à questões étnicas e políticas.
Amo estudar sobre literatura marginal, por isso eu componho um coletivo de poesia do Espírito Santo chamado “Poesia Inútil”. Adoro estar em constante atividade social, por isso eu participo de alguns coletivos sociais, sendo eles Coletivo Nós Por Nós do município da Serra, o Fórum Estadual da Juventude Negra do Espírito Santo, a startup capixaba de desenvolvimento socioambiental Coriolís e o Educa Basquete, projeto social para crianças e jovens na Serra.
Amo estar sempre ligada à questões artísticas, principalmente à dança e a poesia, e pretendo movimentar isso na minha comunidade.
Comunicativa e apaixonada pela vida, tenho habilidade de lidar com o público de forma compreensiva e versátil. O meu empreendimento tem sido no empreendedorismo social ao estudar mais sobre isso e aplicar nos coletivos em que componho.
Atualmente, procuro falar no meu perfil pessoal do instagram sobre política e empreendedorismo social e de forma aleatória sobre dança e poesia.
corda - vitrine virtual
Nadine
Nadine Luiza
Nadine Luiza tem 25 anos, é nativa de Jacaraípe na Serra – ES, graduanda em Artes Plásticas pela Universidade Federal do Espírito Santo, é artista multidisciplinar e educadora.
Gosta de estar sempre em contato com a natureza, onde revigora suas energias para continuar existindo na cidade. Atualmente seu maior sonho como artista é pintar uma empena de algum edifício no centro de Vitória.
Atua no movimento Hip Hop como graffiteira desde 2013. A democratização da arte em espaços públicos foi um dos motivos iniciais que a incentivou a começar a pintar as ruas do bairro onde mora, e posteriormente o graffiti a possibilitou conhecer outros bairros da Grande Vitória e fomentou ainda mais o desejo de ingressar na Universidade pública.
Atualmente desenvolve pesquisas que vem abrangendo a sua relação com a espiritualidade e ancestralidade, buscando representar o seu sagrado interno e a presença de seus ancestrais em caminhos e lugares por onde passa. Com propósitos de refletir poder na criação de imagens, exaltando a soberania africana e saberes ancestrais.
Mulheres urbanas - vitrine virtual
Paulo
Paulo Afonso Rosa Carvalho Viana
Cursei Design e hoje estudo Direito. Apaixonado pela indústria criativa e pela luta por inclusão com diversidade. Criador de conteúdo para o Instagram, onde falo sobre mim, política, arte, negócios e tendências.
Presto consultorias para empreendedores que estão iniciando seus negócios, além de trabalhar com gestão de branding e criação de conteúdos para empresas. Amo fazer publis, gravar podcasts, curtas e ser fotografado por pessoas sensíveis que criam ensaios arrojados e conceituais.
corda - vitrine virtual

Vargem Alta

Aquila
Aquila Anastácio Bento
Me Chamo Aquila Anastácio Bento, moradora de Vila Maria- Vargem Alta/ES, evangélica, estudante de Letras – Português -Ifes, faxineira e babá nas horas vagas. Sou apaixonada por livros, músicas e gastronomia.
Faço vídeos de culinária às vezes para o Instagram, e vídeos de músicas gospel juntamente com minha prima Maria e minha sobrinha Raquel para o YouTube.
Trio AMR - vitrine virtual
Somos o Trio A.M.R (Aquila, Maria, Raquel). Somos moradoras de Vila Maria- Vargem Alta/ES, juntas produzimos vídeos motivacionais e Cover de música gospel no YouTube, para todos os públicos que se interessam por Cover gospel, aceitamos convites para louvar também nas igrejas ou eventos.
corda - vitrine virtual
Viviane
Viviane da Silva Vieira
Meu nome é Viviane da Silva Vieira, tenho 20 anos, moro em Vila Maria – Vargem Alta – ES. Sou católica praticante, estudante de LETRAS – Língua Portuguesa do IFES Venda Nova do Imigrante. Um dos assuntos que mais me interessa, é a temática afro-brasileira e todos os assuntos voltados à população preta de modo geral. Pretendo concluir a faculdade e trabalhar de forma mais participativa na vida da minha comunidade, sobretudo com criações de projetos culturais. Jovem dedicada, apaixonada por livros (literatura), esportes, músicas e gastronomia.
Com bastante frequência promovo algumas interações interessantes no meu perfil do Instagram, pois é a rede social em que me sinto mais confortável para expor minhas opiniões e divulgar meus serviços, além de ser uma plataforma ágil para divulgação dos meus poemas.
Trabalho como babá de crianças de 0 a 10 anos. Ajudando os pais que não têm um local adequado para deixarem seus filhos (principalmente nesse terrível momento de pandemia em que estamos passando). E também, dou aula de reforço escolar. Faço o máximo possível para ajudar na formação das crianças, principalmente com o objetivo de apresentá-las um pouco sobre cultura e sua abrangência.

Venda Nova

Amanda
Aquila Anastácio Bento
Meu nome é Amanda Santos, tenho 22 anos. Sou estudante de Letras pelo Ifes, campus Venda Nova e realizo pesquisas na área de Literatura Juvenil. Além disso, sou integrante e faço parte da organização do Coletivo À Flor da Pele, projeto este o qual integro desde sua fundação em 2019.
Nas horas vagas faço algumas ilustrações em aquarela e marcadores, escrevo poesias sobre minha vivência, faço videoartes, (tento) ler tarot, me arrisco na cerâmica e na saboaria natural e ajudo uma ONG de animais em situação de rua. Faço um pouquinho de tudo!
À Flor da Pele - vitrine virtual
Em 2019, o À Flor da Pele – Ensaio I, buscou explorar por meio da fotografia, do videoarte e da performance o protagonismo das comunidades negras de Venda Nova do Imigrante – ES. Por se tratar de um ensaio, entendemos que seria algo experimental, com risco do erro, da falha.
corda - vitrine virtual
O nome do ensaio teve como inspiração a canção de Chico Buarque e Milton Nascimento “O que será (À Flor da Pele)”, sendo assim, àquilo que está intrínseco e que vem à tona. O grupo se firmou enquanto coletivo no dia 20 de novembro de 2019, dia da Consciência Negra, em sua primeira apresentação e exibição performática no palco do Ifes, campus Venda Nova do Imigrante.
Em virtude do cenário de pandemia e de indicadores que vão contra a comunidade negra, o Coletivo percebeu a necessidade de, mais uma vez, dar voz ao povo negro e não deixar passar em branco. O segundo ensaio, À Flor da Pele – Ensaio II: Yibambe – no significado da palavra Yibambe: manter-se firme – busca exaltar e valorizar os traços e a beleza negra a partir de produções artísticas como uma forma de expressão, manifesto e denúncia.
O Coletivo promoveu uma ação formativa, ministrada por artistas negros capixabas e, voltada às comunidades negras, sobre movimento negro, performance, fotografia e videoarte. O produto artístico final e todo processo de criação buscou explorar a complexidade, a potência individual e, consequentemente: a vulnerabilidade, a imperfeição e o protagonismo de cada um que fez parte desse ensaio.
Para o ano de 2021, espera-se que consigamos nos formar para dar continuidade aos planos sociais que temos para o coletivo e que possamos alcançar mais ainda as comunidades.

Viana

Ramon
Ramon Matheus
Corpo preto em movimento. Descendente de africanos. Em busca da descolonização do corpo tem se permitido aprender com os saberes da diáspora africana em experiências de corporificação e sobrevivência. É diretor do Fórum Estadual de Juventude Negra do Espirito Santo, militante do movimento negro e membro do coletivo Cultura Bethânia. É vice-presidente do Conselho Estadual de Juventude do Espírito Santo (2020-2022) e presidente do Conselho Municipal de Juventude de Viana (2020-2022).
Cursa Licenciatura em Educação Física na Universidade Federal do Espírito Santo onde é representante discente na Comissão de Reforma Curricular do CEFD, bolsista de iniciação científica do CNPq e membro do Laboratório de Estudos em Educação Física (LESEF).
Também foi presidente do Diretório Acadêmico 26 de Junho (2019/20), representante discente no conselho departamental do CEFD/UFES, bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) e dançarino na Cia de Dança Andora.
Atualmente tem interesses nas linhas de pesquisa: formação de professores e atuação docente, educação infantil, corporeidade negra, racismo.
corda - vitrine virtual
Cultura Bethânia - vitrine virtual
O Coletivo Cultura Bethânia é um coletivo que atua na linha da economia criativa a partir do entendimento da cultura como movimentadora de trabalho e renda. O Coletivo atua na região da Grande Bethânia, Viana/ES e tem como foco ações e projetos com foco na geração de impacto social no território de atuação.
O Coletivo Cultura Bethânia tem como missão a resposta de demandas emergentes que afetam diretamente a vida de jovens periféricos, como a falta de acesso a educação de qualidade, a profissionalização e a renda e o extermínio da juventude negra.

Vila Velha

Alycia
Alycia Cynara
Me chamo Alycia Cynara, sou parda, tenho 1,65cm aproximadamente de altura, eu nasci em vila velha, e cresci na Serra, em 2019 fiz o Enem atingindo a pontuação necessária para cursar uma faculdade pública, decidi cursar em Venda Nova Do Imigrante, para criar valores culturais, ter uma nova experiência de vida, e focar cem por cento nos estudos, mas fomos surpreendidos por uma pandemia, que fez com que eu voltasse para as minhas raízes, com isso, me tornei mãe de um Akita Inu, o Ryuu, e de dois gatos, Sócrates e Frida.
Sempre sonhei com a dança e o mundo artístico, eu faço ballet clássico e dança contemporânea, toco Clarinete, amo música clássica e Blues, faço parte do grupo LGBTQI, sou aspirante a artista, faço desenhos e pinturas, e meu sonho é se tornar tatuadora, para abrir minha própria academia de arte corporal e cênicas.
Aprendi muito com o Curso nós por nós, desde ter uma linguagem passiva para tratar com meus clientes e a sociedade, até saber criar e manter uma empresa, divulgações, atualidades, movimentos, cultura, criações de portfólio, tecnocracia, tudo isso e muito mais em apenas um curso, também vi o grande valor cultural africano, que é a base da minha arte, me gratifiquei com esse curso e me encontrei, conheci pessoas incríveis, pessoas como eu sou, foi como estar em casa, seguro e amado.
Meu trabalho atual é como garçonete, e quando tenho a oportunidade faço tranças nagôs e rastafari, mas busco fazer cursos de tatuagem ainda esse ano, para abrir meu studio, meu hobbie é escrever, poesias, frases, textos e livros.
corda - vitrine virtual
Poesia - Vitrine Virtual
Gabriela
Gabriela Santos da SIlva
Sou Gabi Santos, 34 anos, mãe solo do Eduardo (menino neuroatípico mais incrível do universo), bailarina afro, professora, coreógrafa, educadora social, cineclubista, Neuropsicopedagoga, formada em Letras Português e Espanhol pela Ufes… Militante pela Educação; Movimento Negro; Movimentos de Mães de Autistas; etc.
Amo, vivo e respiro arte. É o que me dá força e me alimenta.
Sou natural de Petrópolis-RJ, filha de pais mineiros e criada em diferentes estados brasileiros. Sou filha de militar subversivo, que sempre me ensinou a lutar e acreditar nos meus sonhos.
Já minha mãe, mulher preta e muito sábia, sempre me ensinou a me colocar em primeiro lugar e lutar pela minha independência e autonomia.
corda - vitrine virtual
Matheus
Matheus Campos dos Santos
Biólogo, apaixonado pela área de plantas e fitoterápicos, atualmente atuando como mestrando em Biotecnologia Vegetal. Nessa área, já colaborei com crianças e adolescente de comunidades tradicionais com educação ambiental, em projeto parceiro de uma empresa internacional.
Meu objetivo é conectar academia e comunidade, a fim de disseminar o que é produzido cientificamente para a sociedade e transformar o saber de forma colaborativa.
Além disso, meu lazer está entre livros, esportes e assistir a boas séries. Estar em contato com a natureza é o que me faz reconectar com minhas raízes e ancestralidade.
Meu projeto foi desenvolvido ao longo do curso, durante os processos de autoconhecimento e aulas práticas. Como produto final, foi determinado o objetivo de criar-se uma web série com intuito de retratar a realidade local e resgatar as culturas tradicionais de Aracruz.
A web série será dividida em episódios que contarão a história das comunidades indígenas, pesqueiras e artesãs locais, com seus percalços e valores, para conectar as comunidades vizinhas e mais globalizadas às suas verdadeiras origens.

Vitória

Danilo
Danilo dos Anjos
Bailarino, Ator Performer, Produtor Cultural, Recreador e Dreadmaker. Formado em Danças Afro Brasileira Cênica – MUCANE.
Produtor Executivo no Atelier de Danças Negras Capixaba, ator performer no Grupo de Teatro Experimental Capixaba – GTEC, produtor e bailarino na Cia Negraô, na Homem Cia de Dança Contemporânea – HCDC atua como bailarino e assistente de produção.
“É a partir da minha vivência e pesquisa na dança que hoje transito nas demais áreas culturais, como teatro, música, literatura , produção cultural e recreação.”
Danilo - vitrine virtual
Danilo - vitrine virtual
corda - vitrine virtual
Iaia Rocha
Iaiá Rocha
Iaiá Rocha, 25 anos, mulher preta e lésbica, é moradora do território do bem. Adoro viajar e conhecer gente nova. Amo fazer dinheiro também! 🙂

A Foto Melanina é uma iniciativa que começou como um projeto para trazer mais representatividade ao meio da fotografia, hoje segue sendo uma iniciativa de projetos e também de fotografia comercial. O foco da Foto Melanina é fotografar pessoas negras, e usar dessa ferramenta como conexão com a ancestralidade e autoconhecimento. Como projeto principal, em 2019 a marca lançou o primeiro livro de fotografia, do qual Iaiá é autora.

Foto Melanina - vitrine virtual
Arame sem farpa - vitrine virtual

 A Arame sem Farpa é uma loja online de peças autorais a partir do arame e cobre, inspiradas em estéticas afrofuturistas.

Raffaella Passos
(27) 9 9285-2084

Raffaella Passos é artista multipotencial, educadora social, produtora cultural e produtora de conteúdo digital. Possui graduação no Bacharelado Interdisciplinar em Artes na Universidade Federal da Bahia (UFBA), curso no qual teve uma ampla experiência com diversos fazeres artísticos, dentre eles: dança, fotografia, audiovisual, produção cultural e comunicação social, acrescentando à sua vivência como artista.

Atualmente está desenvolvendo o projeto Artistas Multipotenciais que tem como objetivo ajudar artistas empreendedoras que possuem diversas habilidades e interesses a criar um negócio criativo no digital combinando todas as suas paixões para monetizar mais e viver da sua arte de forma autêntica.
Serviços:

  • Consultorias de Redes Sociais para Negócios Artísticos e Criativos
  • Branding e Identidade Visual
  • Planejamento de produção de conteúdo para redes sociais
  • Consultoria de produção de eventos online
  • Currículo e Portfólio Artístico
  • Além de cursos online e mentorias para artistas.
corda - vitrine virtual